Descrição:
Os Diamantes de Gould são uma das aves mais espetacular e coloridas da Austrália.
São aves pequenas, com uma volta verde brilhante, barriga amarela e um peito roxo.
A cor facial é geralmente preto, e é encontrado em cerca de 75% das aves. Os cabeça vermelha e laranjas compõem aproximadamente 25% da população, e raros amarelos,
ocorrem de tempos em tempos. Os amarelos cor resulta uma falta de pigmento vermelho nas aves de cara vermelha. Os machos são mais brilhantes na plumagem que as fêmeas. As aves jovens são cinza, tornando-se verde-oliva no dorso e na cauda. As partes inferiores e queixo, são creme pálido, e tem um tom ligeiramente amarelado na barriga. Foi nomeado por John Gould, ornitológico inglês em 1844 em memória de sua esposa Elizabeth. Também é conhecido na América como Finch
Rainbow, Finch Gould, ou Lady Gouldian Finch, na Austrália, é
predominantemente chamado Finch Gould.


Habitat:
Os Diamantes de Gould podem ser encontrados nas áreas tropicais do norte da Australia: Subárea
costeira de Derby, Austrália Ocidental para o Golfo de Carpentaria e tambem um pouco
para o centro da Península de Cape York.Tal como acontece com a maioria das espécies de diamantes, o Diamante de Gould, raramente é encontrado longe da água, e tem de beber várias vezes durante o dia. Ao longo de sua faixa a espécie habita as bordas dos manguezais e matas e savanas de árvores.


Clima:
O clima no norte da Austrália caracteriza-se por ser quente e húmido um pouco diferente do que temos em Portugal onde temos 4 estações (Inverno, Primavera, Verão e Outono, na Austrália só tem 2 estações (estação húmida e estação seca), a estação seca tem inicio nos meses de Abril/Maio caracterizada por ventos de sudeste e leste sumamente secos, gerados pelo deslocamento invernal de sistemas de alta pressão para sul a qual se perlonga até ao inicio da estação húmida Outubro/Novembro, a estação chuvosa no norte da Austrália inicialmente, traz um clima quente e húmido com uma ocasionais tempestades e chuvas curtas, mas intensas, as temperaturas caem um pouco e a chuva cai aumento como o novo ano se aproximando, a maior parte da chuva cai entre Janeiro e Março. Esta é também a época do ano com o maior risco de ciclones e inundações.


Movimentos sazonais:
Fora da época de reprodução os Diamantes de Gould são parcialmente migratórios.
As aves movem-se em bandos para áreas mais costeiras e voltam para o interior quando a estação chuvosa chega.


Alimentação:
Os Diamantes de Gould alimentam-se principalmente de sementes de gramíneas maduras ou semi-maduras. Durante o período de acasalamento, no entanto, a dieta consiste quase inteiramente de insetos. Insetos são ricos em proteínas e ajudam a satisfazer o apetite exigente das aves jovens.


Reprodução:
Estas aves vivem em pequenas colônias sociais,
com a reprodução normalmente ocorrendo no inicio da época das chuvas. O ninho é construído em cavidades naturais, normalmente buracos ocos de árvores onde podem criar até três ninhadas em uma temporada, com ambos
os pais a compartilhar a incubação, e o choco dos 4 a 8 ovos. Infelizmente, a sua coloração brilhante levou-o a ser um alvo para o comércio de aves ilegal, este aprisionamento ilegal, junto com outros fatores, como alteração do habitat, a predação, os efeitos do fogo e da susceptibilidade das espécies ao ácaro, (Acaros da traqueia) reduziu seus números de forma
alarmante, em 1992, foi classificada como "ameaçada em estado selvagem", isto porque o tamanho da população viável foi estimada em menos de 2.500 indivíduos. Hoje em dia é objeto de um programa de conservação, no qual são implementadas algumas medidas para almentar o número destas aves para evitar a extinção em estado selvagem.


Aves em estado selvagem, fotos do site Save The Gouldian Fund

Diamantes de Gould, uma paixão...

Diamantes de Gould, uma paixão...
Um dos meus viveiros de criação de goulds construído em 2001 o qual albergava, 2 casais de Roseicollis, 2 casais de Diamantes de Goulds, e 5 casais de Bengalins

As minhas instalações


Se temos animais temos o dever de lhes proporcionar as melhores condições possível, mediante as nossas possibilidades, assim como organizar a nossa vida para
tal... No início quando comecei a criar aves tinha estes viveiros construídos por mim em madeira, mais alguns que não tenho fotos, hoje em dia temos várias empresas a fabricar viveiros para aves, e podemos comprar algo mais funcional e
mais fácil de limpar, para mim o melhor serão mesmo os viveiros com rolos de papel, pois para quem tem em casa um casal de aves numa gaiola é muito fácil limpar o tabuleiro, agora quem tem 150 casais, a coisa já não é tão fácil, pois
em média vamos ter de despender 1/2 horas diárias na manutenção das aves.
Normalmente alimento as aves de três em três dias, mas todos os dias vou ao viveiro ver como se encontram as aves, no período compreendido entre Outubro e Fevereiro com as criações todos os dias perco 2/3 horas a : Substituir papas, anilhar aves, colocar ovos nos bengalins, mudar aves novas, limpar ninhos, etc. É muito trabalho, pode parecer fácil, mas não é, são horas e horas que perdemos, então se vamos entrar neste mundo da criação de aves temos de fazer as coisa de forma a que tudo fique o mais funcional possível, para que
aja tempo para tudo…

Viveiro atual

Viveiro atual

Criação com amas ou direto/alimentação/manutenção


Como eu existem centenas de criadores de Diamantes de Gold por todo o mundo, os quais desenvolveram forma
de que os mesmos se reproduzissem com sucesso em cativeiro, quer naturalmente pelos próprios meios, quer através de amas, (bengalins, mandarins etc), o processo consiste
em tirar os ovos dos bengalins quando se encontram já no choco e colocar ovos de Gould para que os bengalins efetuem o choco e criem os pequenos goulds, como seus, visto os bengalins serem muito bons pais.
Os Diamantes de Gould gozam de uma reputação de criação difícil, em parte porque as fêmeas costumam abandonar a ninhada prematuramente, ou logo a seguir aos narcimentos mandarem todos os filhos para fora do ninho, ou mesmo nem os alimentarem nem os aquecerem e acabarem por morrer de fome e frio, mas ao longo dos anos fui apurando alguns casais em que não surgem tantos problemas e tenho casais que criam muito bem pelos seus meios...
Os diamantes gould criados pelos próprios pais, em vez de pais adotivos (amas), são designados como gerados naturalmente. Para se obter uma gestação natural bem sucedida, é importante que as fêmeas tenham liberdade para escolher seus parceiros, se for deixada às fêmeas a escolha do parceiro, serão maiores as hipóteses de esta cuidar bem da ninhada, mas mesmo assim nem sempre as coisas resultam, temos de ter em conta a genetica do casal, até podemos juntar duas aves á nossa escolha temos é de ver se as aves são compativeis e se têm o genes de bons pais, pois como a maior parte dos criadores ao longo de anos foi criando estas aves atraves de bengalins, e esse gene foi se perdendo devido a não aver um aporamento genetico das aves com melhores caracteristicas paternais, assim temos de jogar um pouco com a sorte, uns casais vão criar bem outros não...
Como ninho podemos utilizar uma caixa semiaberta a partir de diversos materiais, no meu caso são de plástico da marca 2gr, mesmo para Diamantes de gould. Entre os materiais adequados para forrar o ninho, figuram a corda desfiada, ou musgo, feno, corda de sinal e fibra de coco, ou mesmo feno do campo muito identico ao capim Australiano.
Normalmente, a postura é de 4 a 8 ovos, e a gestação é de 14 dias com diamantes de gould, com bengalins temos de dar 17 dias.
A plumagem surge aos poucos mais só adquirem a plumagem definitiva após três ou quatro meses, embora seja frequente demorar mais tempo. A alimentação que forneço as minhas aves é feita á base de sementes, Grit (casca de ostra mais alguns minerais), vários tipos de papas, e se necessário suplementos vitamínicos e medicação. Como base da alimentação tenho a alpista os milhos-alvos e os painços, depois dependendo da altura do ano e da situação em que as aves se encontram faço algumas alterações às misturas, mas normalmente como base tenho, 40% Alpista, 20% Milho Alvo Amarelo, 15% Milho Alvo Branco, 10% Milho Alvo Japonês, 10% Milho Painço Amarelo 5% de Milho painço vermelho. Alguns criadores defendem que os goulds podem comer legumes, assim como outros alimentos, mas depois de alguns testes com diversos alimentos decidi não dar mais nada, a não ser, ração, papa e grit as minhas aves.
No que diz respeito á saúde das aves, se as alimentarmos
corretamente com comida de boa qualidade (versele-laga diamantes australianos prestige premium) e uma boa papa (orlux exóticos) mais grit (grit são pedrinhas de vários tipos) estas pedrinhas quando ingeridas pela ave ajudam no bom funcionamento do estomago, por isso devem ter sempre
grit a disposição, e se seguirmos este procedimento, não devem surgir problemas de mais, mas em forma de prevenção de 6 em 6 meses coincidindo com o inicio da criação
(setembro/outubro) podemos fazer uma aplicação de antibiótico de largo espectro para prevenir algumas doenças mais usuais e ficarmos descansados. No caso dos ácaros da traqueia e vermes/parasitas internos na corrente sanguínea, também em forma preventiva ou mesmo de
tratamento devemos aplicar algo também de 6 em 6 meses, eu utilizo um produto da marca Bogena - parasita, (conta gotas com liquido de tratamento), o qual com o respetivo conta gotas se mete uma gota na nuca da ave (tipo as pipetas da frontline que se aplica nos cães), o processo é o mesmo é um produto a base de ivermictina a 12% que é absorvido pela pele, e uma vez na corrente sanguínea, vai paralisar a atividade cerebral
dos parasitas que se alimentam de sangue os quais acabam por morrem a fome, normalmente fazemos 1 aplicação e repetimos 20 dias depois para matar as larvas nascidas nos 20 dias de intervalo, no caso do ácaros do pó e das penas eu utilizo um
produto para pombos o qual aplico de 4 em 4 meses da marca Backs- badesalz, a aplicação é tipo banho e consiste em “polvorizar” as aves de forma a que fiquem, livres dos ácaros das penas.


Alimentação marca Versele-laga

Alimentação marca Versele-laga
Base da alimentação das minhas aves

Final da muda da pena

Final da muda da pena
Classico cabeça laranja

Mutaçoes base dos diamantes de Goulds

Mutaçoes base dos diamantes de Goulds
Classico de cabeça vermelha, preta e laranja


Estas são as três mutações base dos Diamantes de Gould na natureza: Verde cabeça preta, vermelha e laranja, (clássicos), e raros amarelos também aparecem na natureza.
Em cativeiro podemos encontrar inúmeras mutações resultantes do cruzamento das várias cores, existem na internet várias tabelas mas são um pouco complexas, se não tiverem umas bases não vão entender nada, no meu ver a maneira mais fácil de explicar a forma de fazer as mais variadas cores será assim. Se juntarem uma ave macho normal verde (clássica), com uma amarela, vai sair filhos, 50% machos verdes claros, chamados, (diluídos FS), ( o FS quer dizer fator simples , ou 1 diluição) o amarelo de uma das partes dilui o verde da outra, e 50% fêmeas clássicas normais. Se mais uma vez juntarem uma ave macho diluída com um amarelo puro, ainda vai diluir mais e já vai sair, 25% (machos amarelos DF), (DF quer dizer duplo fator ou duas diluições), 25% machos diluídos, 25% fêmeas amarelas e 25% fêmeas clássicas. Mas tudo isto depende de conhecerem bem a genética das vossas aves, e saberem de que cores as vossas aves são portadoras, mas basicamente funciona assim, por vezes para fazermos uma determinada mutação temos de fazer vários cruzamentos ao longo de anos, mas no final compensa...


Diluido cabeça laranja factor simples

diluido (pastel) factor simples cabeça preta (cinza)

Amarelo factor duplo

Algumas das cores que mais gosto

Algumas das cores que mais gosto
O meu preferido... (classico cabeça preta)

Diluido (pastel) mutação cabeça preta

Prata mutação cabeça preta

Azul cabeça preta

Azul peito branco

Pastel azul

Programa de conservação do Diamante de gould


Save the gouldian fund

Estimativas recentes sugerem que menos de 2.500 Diamantes
de Gould (Erythrura gouldiae) permanecem em estado selvagem. Embora uma vez comum em todo o norte tropical da Austrália (Savanas do Norte), o recente estudo vem dizer que o Diamante de Gould está praticamente extinto em Queensland e restrito a populações pequenas e isoladas no Território do Norte e nas regiões de Kimberley da Austrália Ocidental.
O Diamante de Gould foi classificada como espécie em perigo por causa do declínio dramático dos seus números. Mudanças de larga escala (má gestão) de seu habitat nativo são o que pensamos ser a causa primária do desaparecimento da espécie. No entanto, sabemos muito pouco sobre o Diamante de Gould, o seu habitat, ou as atuais ameaças à sua sobrevivência.
O Seve the gouldian fund, foi criado em 2005 para
promover a conscientização e financiar a investigação valiosa para reverter o declínio do Diamante de Gould. Fundo está associada a uma série de cientistas de alto perfil, que estão atualmente a fornecer grande visão sobre a biologia, ecologia e conservação da espécie.
O Diamante de Gould é também uma das aves mais populares ornamentais a ser mantidos por criadores de aves em todo o mundo, talvez por causa de suas cores plumagem incríveis e suas palhaçadas cômicas.
O Fundo também vai fornecer continuamente informações para criadores de aves, para aumentar
ainda mais a prática da avicultura e para o bem estar de todos os Goulds cativo. Esperamos poder ajudar a aprender mais sobre esta espécie icônica australiana para que
possamos salvar esta espécie em estado selvagem (antes que seja tarde demais).
Junte-se a um dos nossos muitos projetos, como o novo projeto de ninho-caixa ,
onde você pode patrocinar uma casa muito necessária para uma família goulds selvagens.
O save da gouldian fund é uma instituição de caridade sem fins lucrativos, e todas as doações são utilizadas
para pesquisas. Por favor, ajude-nos a
ajudar o Diamante de Gould, tornando-se um defensor STGF.


O Bengalim do Japão é sobretudo conhecido por ser o progenitor perfeito. O seu instinto materno é tão apurado, que é um dos melhores pai/mãe adoptivo entre as aves.
Calmos e sociáveis, são óptimas escolhas para um aviários comum. Não devem
partilhar o alojamento com aves conflituosas. Gostam de viver em grupo em vez de estarem em pares ou sozinhos. O Bengalim do Japão é uma ave de porte pequeno, medindo entre 11 a 12 cm. Esta ave pode ser encontrada com várias colorações, sendo as mais comuns: chocolate e branco; creme e branco totalmente branco.
Mas existem também outras combinações - preto e castanho; malhado; preto e cinzento; castanho e castanho avermelhado – mutações tricolores ou de cor sólida e ainda variedades de crista. O macho e a fêmea são idênticos visualmente e a única forma de distinguir o sexo sem recorrer a análises de ADN é através do comportamento das aves. O macho canta e exibe rituais de corte.

Pequenos bengalins

Pequenos bengalins

Bengalins muito bons pais chegam a criar 9 crias todas nas mais perfeitas condições

Bengalins muito bons pais chegam a criar 9 crias todas nas mais perfeitas condições
Passados tantos anos, ainda dou por mim sentado dentro do meu viveiro a observar estas lindas aves como fazia em miúdo, por vezes dou por mim quase a chorar, outras a rir sozinho, acho que conviver com estes magníficos animais me dá tranquilidade, e paz, posso até afirmar que me faz feliz, e será uma ótima forma de desanuviar dos problemas do trabalho e da vida. Espero ter ajudado a esclarecer os futuros criadores de Diamantes de Gould, e sempre que tiverem duvidas, contactem-me, se sober e poder, terei todo o gosto em ajudar…

Tudo de bom...Hugo Miguel

Translate

Número total de visualizações de página

Não existem mensagens.
Não existem mensagens.